Português
 | 
A era do SD-Logic ( Service Dominant Logic)20/07/2016
Historicamente acreditamos que a satisfação das necessidades humanas ocorre pela necessidade de possuir utensílios que nos tragam viabilidade, segurança ou conforto.
 
Isto é uma memória de tempos da revolução industrial que gerou uma super oferta de bens a preços aceitáveis e altamente uniformes. Além de popularizar os produtos gerou movimentos práticos e passionais de aquisição. Mais que atendimento de necessidades criou modas e desejo de consumo tornando o ato de adquirir um ato de sentimento mais que  arazão.
 
Uma análise mais detalhada deste movimento demonstra que no cerne da aquisição esta a necessidade de atender um desejo, e não talvez de possuir algo.
 
Este tipo de análise, embora ainda impressionante, não é realmente novo.  O escritor Wroe Alderson já no ano de 1957 dizia em uma de suas publicações :
 
“The importance of physical products lies not so much in owning them as obtaining the services they render.”
 
 A SD-Logic é o reconhecimento de que o benefício obtido por um bem é mais importante que a posse propriamente dita deste bem.
 
Um serviço pode ser definido de maneira simples como um indivíduo ou entidade promovendo a satisfação de outro Individuo ou entidade.
 
Para que exista a criação de valor para o recebedor do serviço ( clientes, usuários ou consumidores) o provedor do serviço se vale de bens e produtos. Sempre existe alguma ferramenta, alguma instalação, alguma tecnologia envolvida na produção do valor.
 
“Usuários não querem furadeiras, querem quadros pendurados em suas paredes”.
 A SD-logic é um dos pilares fundamentais do Service Thinking . Uma nova forma de ver as relações comerciais e sentimentais humanas.
 
No mundo corporativo, as empresas estão se apercebendo que o atendimento de objetivos estratégicos  se dá por um conjunto de serviços prestados por colaboradores que habitam o mesmo ambiente corporativo ou não ( third party suppliers). 
 
Assim a corporação deixa o modelo de “cadeia de valor” rijo e pouco escalável, para um modelo de “rede valor” onde todos colaboradores são provedores de serviços de acordo com um catálogo de serviços e e participando de interações características dos provedores de serviço. Principalmente atentos a gestão da qualidade dos seus serviços.
 
De fato, o Service Thinking, é uma nova forma de governança corporativa .  
 
Sua empresa está preparada?   
 
Visualizado 208 vezes
Autor: Pier Riboni
Comentários (0)
Você precisa estar logado para enviar um comentário
Copyright © 2012/2018 - Dexacon, Todos os Direitos Reservados